Resenha - Vox

[Bianca B.]

|Texto revisado por Ana Lua|


Como já disse Dumbledore, na aclamada série de livros Harry Potter: “palavras são a nossa inesgotável fonte de magia”. Há algumas pesquisas que mostram que a média diária de palavras utilizadas por uma pessoa comum no cotidiano é em torno de 15 mil. Mas já imaginou poder falar apenas cem palavras por dia?


Vox é um romance escrito por Christina Dalcher e nele podemos conhecer uma distopia, na qual as mulheres são limitadas a dizer apenas cem palavras por dia. Inclusive as palavras ditas enquanto se dorme. Inclusive as expressões de espanto e medo como “aí”. Você precisa viver economizando suas palavras no sentido mais literal do termo.


Nessa história, a expressão livre é punida com dispositivos de tortura. Então, somos apresentados ao embate do quanto se comunicar sem palavras é desafiador. É possível se utilizar da comunicação não verbal? Obviamente. Mas é extremamente limitador. E não apenas se comunicar, como se distrair, aprender. Controlar o uso da linguagem é limitar o estabelecimento de relações. Uma pessoa sem relações... Bem... Acredito que consegue imaginar. Diz a lenda que muitas leitoras não conseguem dar continuidade ao romance, tamanha a angústia que sentem.


A linguagem verbal é a via pela qual nós podemos expressar nossas vivências mais complexas. É por meio dela que podemos descrever nossos sentimentos, emoções, afetos e, principalmente, deixar nossos pensamentos e imaginações registradas. A reflexão profunda é, geralmente, intermediada por palavras. Parece óbvio. Mas será que é possível tratar de temas transcendentes, místicos, políticos e espirituais sem auxílio de palavras?


Se tivesse que escolher apenas cem palavras por dia... Quais seriam as suas prioridades?


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo